Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Como funcionam as interações medicamentosas com CBD

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

interações medicamentosas
Foto: Freepik

O canabidiol (CBD) pode ser utilizado no tratamento de diversas condições e compreender como ocorrem as interações medicamentosas é fundamental para garantir tratamentos eficazes e seguros. Alguns pacientes podem ter dúvidas sobre a utilização de medicações e suplementos alimentares concomitantemente com o CBD.

A indicação vai depender de fatores como qual o tipo da substância que já é ingerida pelo paciente, qual a dosagem e qual será a forma como o CBD será metabolizado pelo corpo. “É importante que o paciente informe os medicamentos de uso contínuo antes de qualquer novo tratamento, pois as consequências dessas interações podem ser uma menor eficácia de algum dos fármacos ou o risco de efeitos colaterais”, explica José Manzi, diretor médico da Simples Cannabis.

Para evitar qualquer risco, os profissionais de saúde realizam avaliações e reúnem informações fundamentais sobre os pacientes. Além das medicações utilizadas, sejam elas prescritas, de venda livre ou suplementos, os dados levantados incluem possíveis alergias, problemas cardíacos, diabetes, insuficiência hepática ou renal, uso de anticoagulantes e outras condições.

“Isso ajuda o profissional de saúde na tomada de decisões sobre o tratamento, ponderando benefícios e contraindicações”, explica o especialista. Segundo ele, o CBD, que é uma alternativa natural, geralmente é bem tolerado mesmo quando usado com outros medicamentos, além de oferecer potenciais benefícios terapêuticos.

Efeitos colaterais das interações medicamentosas

Os efeitos colaterais das interações medicamentosas com CBD são menos frequentes em comparação à maior parte das medicações psicotrópicas. Apesar de vantajoso e com pouca chance de oferecer consequências negativas, o uso do canabidiol deve ser avaliado caso a caso.

Efeito colateral duplicado

Segundo a Escola de Medicina de Harvard o CBD pode causar sonolência, vertigens, náuseas, diarreia, boca seca e, em casos raros, danos ao fígado. A combinação com outros medicamentos que apresentam efeitos colaterais semelhantes pode aumentar o risco de sintomas indesejados ou toxicidade.

Tomar CBD ao mesmo tempo com remédios e substâncias que causam sonolência, como opioides, benzodiazepínicos, antipsicóticos, antidepressivos e anti-histamínicos, tende a levar ao aumento da sonolência e fadiga.

Um cansaço excessivo também pode ser desencadeado com certos suplementos, como melatonina e erva de São João. Tomar CBD com estimulantes também reduz o apetite, enquanto tomá-lo com o medicamento para diabetes metformina ou certos medicamentos para azia pode aumentar o risco de diarreia.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress