O maior canal de informação do setor

Medpass nomeia Sergio Saraiva como Chairman de Operações

534

O executivo Sergio Saraiva é o novo Chairman de Operações da Medpass Brasil, sistema de saúde digital e bem-estar preventivo e personalizado do País. Ele acumula mais de 30 anos de carreira, com passagens como CEO por empresas como o Rappi Brasil, Cielo, Diletto e Giroflex, além de uma experiência de duas décadas no Grupo Ambev Anheuser-Busch por 20 anos.

Agora, na Medpass, seu principal desafio é somar seu conhecimento para acelerar o crescimento da startup.

De acordo com o sócio-fundador da Medpass, o alemão Hans Apostel, a chegada de Saraiva tem o objetivo de impulsionar a expansão de negócios.

‘Conheço o Sergio de círculos sociais e profissionais comuns e o que mais me chama atenção em sua trajetória é a resiliência como enfrenta situações desafiadoras, colocando a empresa na estrada de um acelerado sucesso. Certamente ele tem a liderança necessária ao lidar com questões estratégicas cruciais de negócios e operacionais na Medpass’, diz Apostel.

‘Inicialmente projetada para o mercado B2B, começamos como um sistema de saúde concebido para os departamentos de Recursos Humanos’, explica o sócio-fundador da startup. ‘Vendemos B2B para empresas corporativas comprometidas com as regras de ESG que cuidam de forma sistemática e indiscriminada dos seus colaboradores’, diz ele.

A Medpass faz um mapeamento populacional e usa a inteligência de dados para projetar serviços para um atendimento humanizado e personalizado, ajudando empresas a mapear perfis de saúde, com o objetivo de proporcionar maior controle de custos com saúde e melhores índices de qualidade de vida.

‘Nos nossos primeiros anos, investimos fortemente em pesquisa, tecnologia e inteligência médica. Nosso sistema proporciona integração de dados e avaliações detalhadas de risco, além de um canal direto entre RH e colaboradores, facilitando uma comunicação inédita muito procurada pelos dois lados’, completa Apostel.

De acordo com Saraiva, um dos pontos que chamou a sua atenção no projeto é o foco em criar soluções tecnológicas como um meio para personalizar e melhorar a saúde e o bem-estar de membros e empresas afiliadas. ‘A Medpass está investindo pesado no conhecimento das preferências, demandas e engajamento do usuário final, já que este determina o sucesso efetivo de todos os canais de venda’, explica Saraiva.

Segundo ele, uma de suas principais iniciativas como Chairman das Operações é usar sua experiência para impulsionar e consolidar parcerias – entre elas estão a de aplicativos como o próprio Rappi, empresa que comandou por pouco mais de um ano e meio – até julho de 2021.

‘A Medpass tem um potencial imenso para crescer. A tecnologia é muito sofisticada e, ao mesmo tempo, muito simples de usar. Agora, nosso desafio é intensificar o esforço comercial’, diz o novo Chairman de Operações do Board.

O plano de negócios da startup prevê uma curva de crescimento super acelerada e sustentável.

Uma das trilhas de crescimento, segundo Saraiva, é criar uma oferta de valor atrativa para clientes não plenamente atendidos pelas muitas plataformas de telemedicina, que tiveram um boom após a regulamentação da atividade. ‘A tecnologia permite muito mais eficiência na atenção ao paciente do que a simples conectividade.’

Medpass no mercado

O sistema está sendo alimentado com centenas de algoritmos inteligentes, sendo o membro acompanhado pelo Ben, nome do assistente virtual que alerta de forma individual sobre cuidados de saúde e medidas preventivas a serem tomadas. ‘Dentro desse cuidado inteligente temos também integrado as consultas de saúde emocional e uma unidade exclusivamente para mulheres. Alguns dos conselhos mais procurados são violência doméstica, ansiedade, depressão, comunidade LGBT, discriminação e bodyshaming’, ressalta o sócio-fundador Hans Apostel.

Uma iniciativa pioneira é a integração dos serviços da Medpass como ‘soluções embarcadas’ na comunicação digital com clientes B2B2C, de forma a apoiar a retenção e motivação de clientes e prestadores de serviço.

‘Ingressamos com os dois pés no B2B2C, entrando no segmento de tecnologia com soluções digitais para fidelização de clientes em conjuntos com outros prestadores de serviço’, acrescenta o sócio-fundador.

A Medpass está atualmente entre as 10 empresas mais capitalizadas em um universo de mais de 800 startups no setor de saúde brasileiro, de acordo com a Crunchbase e, em um momento em que o monitoramento de saúde rápido e confiável pode ser uma questão de vida ou morte, a plataforma está atendendo a uma necessidade crítica do mercado.

A startup usa inteligência de dados para promover cuidados de saúde preventivos e oferece um plano de aconselhamento individualizado, bem como agendamento de consultas com acesso a históricos médicos individuais por profissionais de saúde.

Verticais como ‘Meu médico’ e ‘Meu psicólogo’ garantem que o membro sempre fale com o mesmo médico ou psicólogo, em vez de ser direcionado aleatoriamente para outro profissional de saúde como acontece via de regras em plataformas de telemedicina de outras empresas. Na Medpass, ao entrar em contato por chat ou vídeo, o profissional de saúde tem acesso imediato ao histórico médico e ao perfil de risco em seus painéis, economizando um tempo precioso e focando o cuidado no que o indivíduo realmente precisa naquele momento.

As verticais Saúde Mental e a recentemente lançada de Saúde da Mulher têm crescido significativamente em um cenário desafiador como o impacto da covid-19 na vida social, familiar e profissional.

Entre os clientes da Medpass estão empresas nacionais e multinacionais de diversos segmentos: hotelaria, seguradoras e do setor de serviços e pagamentos.

‘São empresas que estão à frente no cuidado da saúde dos seus colaboradores, que sempre oferecem programas e benefícios pensando neste cuidado. Também demonstram bastante preocupação com a segurança dos colaboradores, especialmente em funções que exigem trabalho presencial’, diz o Head of Medical Operations da Medpass, Jackson Neves.

A Medpass mantém parcerias com laboratórios como Fleury e Dasa e redes de farmácias como Grupo DPSP (Drogaria São Paulo), Extrafarma e Pague Menos.

Fonte: Saúde Digital News

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/novos-aportes-acirram-concorrencia-entre-farmacias-digitais/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação