O maior canal de informação do setor

Mendes diz que não faz mais sentido adquirir Sputnik V

202

Cerca de seis meses após anunciar a compra direta de 1,2 milhão de doses da vacina russa Sputnik V contra a Covid-19, o governador Mauro Mendes (DEM) afirmou, ontem (29), que os estados da Federação que solicitaram a autorização para aquisição do imunizante estão até hoje tentando cumprir as exigências feitas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Agora, como quase 100% da população já recebeu a primeira dose de uma das vacinas disponibilizadas pelo Ministério da Saúde e, como a segunda aplicação deve ser do mesmo fabricante, Mendes avalia não ser mais necessária a compra da Sputnik V. Avaliação semelhante é feita em relação às 500 mil doses da Coronavac, para as quais o governo assinou, no início deste ano, um protocolo de intenção de compra junto ao Instituto Butantan (SP).

‘Nós corremos atrás da Sputnik, mas a Anvisa criou uma confusão toda. Inicialmente, não deixou comprar, depois disse que poderia comprar, mas botou 29 condicionantes, 29 exigências que estamos até hoje tentando cumprir com os estados correndo atrás. Agora, também não faz mais sentido porque está quase todo mundo com a primeira dose aplicada e, a segunda dose, tem que ser com a mesma vacina. Se necessário nós compramos sim, temos dinheiro para comprar, mas somente se realmente precisarmos de mais vacinas’, disse o governador Mauro Mendes em entrevista à Rádio CBN.

A articulação para aquisição da vacina russa foi feita por meio de uma parceria entre os governadores integrantes do Fórum de Governadores da Amazônia Legal e do Consórcio Nordeste. Após negar, em julho passado, a Anvisa autorizou parcialmente a importação da Sputnik V, em caráter excepcional.

Também foi limitada as quantidades específicas para fins de distribuição e uso em condições controladas determinadas pela própria Agência. Para o Estado, foi autorizada a compra de somente 71 mil doses. Na ocasião, a autorização excepcional foi dada ainda aos estados do Rio Grande do Norte, Rondônia, Pará, Amapá, Paraíba e Goiás.

Sobre a Coronavac, Mendes informou que pediu à Secretaria de Estado de Saúde (Ses-MT) para verificar se o Estado tem ou não demanda para essa aquisição. ‘Pelo que me parece está chegando vacina direto, já tem município que vacinou todo mundo (1º dose). Então, quem nem vacinou é porque não quis ou a prefeitura está tendo alguma dificuldade, o prefeito ou secretário está pisando na bola’, disse.

Contudo, reforçou que a maioria das prefeituras já fez a primeira aplicação em quase 100% da população com ou acima dos 18 anos. ‘A segunda dose não foi feita ainda porque está no prazo, no período. Então, eu pedi para verificar porque eu não vou comprar vacina só para dizer que comprei’, frisou.

De acordo com dados do LocaliSUS, o Ministério da Saúde já enviou para Mato Grosso pouco mais de 4,5 milhões de doses da Coronavac, Astrazeneca, Pfizer e Janssen. Pouco mais de 3,4 milhões foram aplicadas como primeira dose e 1,2 milhão como segunda ou dose única.

Até a tarde de terça-feira (28), o Estado contabilizava 535.839 casos confirmados e 13.793 óbitos em decorrência do coronavírus. Do total, 3.168 pacientes estavam em isolamento domiciliar e 518.139 recuperados.

A taxa de ocupação estava em 29,71% para unidades de terapia intensiva (UTIs) e em 10% para enfermarias, ambos serviços para adulto. Dentre os cinco municípios com maior número de casos de Covid-19 estão: Cuiabá (110.884), Várzea Grande (38.049), Rondonópolis (37.678), Sinop (25.878) e Sorriso (18.186).

Fonte: Diário de Cuiabá

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/europa-nao-recebe-todos-os-documentos-necessarios-sobre-a-sputnik-v-diz-site/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação