Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Entenda os mitos e verdades sobre a cannabis medicinal

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

mitos e verdades sobre a cannabis

Os mitos e verdades sobre a cannabis medicinal despertam dúvidas, inclusive, na classe farmacêutica, o que impõe dificuldades para a dispensação e a orientação correta aos pacientes. Neste artigo, o Panorama Farmacêutico procura desmitificar as reais potencialidades da planta para a saúde.

Confira os mitos e verdades sobre a cannabis medicinal

Todos os compostos são iguais: mito

A cannabis é uma planta como qualquer outra e, em sua estrutura, possui diversas substâncias, sendo que muitas delas podem ser usadas em remédios e tratamentos. As duas mais conhecidas são o canabidiol (CBD) e o tetrahidrocanabinol (THC). Ambas agem de maneira diferente no corpo humano, mas possuem benefícios para a nossa saúde.

O THC é uma substância que apresenta ação psicoativa. Presente principalmente nas flores e resinas das plantas fêmeas, sua concentração pode variar de acordo com vários fatores ainda em sua etapa de produção, como o solo onde é plantado, o clima da região e a época da colheita.

Devido aos seus efeitos alucinógenos, o composto é discriminado como apenas para uso recreativo, o que não é realidade. Já o CBD atua como uma espécie de antagonista do THC, controlando seus impactos no organismo e gerando um efeito mais calmante no paciente.

Concentração de THC é maior: verdade

Quando falamos da cannabis in natura, a concentração de THC é muito mais representativa do que a de CBD. A diferença é tão grande que, para se aproveitar os benefícios do canabidiol para a saúde, ele precisa ser isolado em extratos específicos.

A título de compreensão, existem espécies da erva, como a Indica, que tem cerca de 30% de sua composição com tetrahidrocanabinol. A espécie mais comum, a Sativa, tem cerca de apenas 0,3%.

Usos medicinais são poucos: mito

Como dito anteriormente, o THC tem um efeito mais estimulante no corpo humano, enquanto o CBD é marcado por um efeito mais tranquilizante. Essa diferença é o que norteia o uso medicinal de cada substância.

Uso medicinal do CBD

  • Alzheimer
  • Ansiedade
  • Convulsão
  • Depressão
  • Diabetes
  • Dor de dente
  • Enxaqueca
  • Esquizofrenia
  • Inflamação
  • Insônia
  • Parkinson
  • Transtorno de estresse pós-traumático

Uso medicinal do THC

  • Artrite
  • Baixo apetite
  • Dores de cabeça
  • Fibromialgia
  • Glaucoma
  • Insônia
  • Náusea e vômitos (decorrentes de tratamento quimioterápico)
  • Tremores

Cannabis medicinal tem efeitos colaterais: verdade

Tratamentos à base de canabidiol ou tetrahidrocanabinol podem sim apresentar efeitos colaterais. A depender da substância, esses efeitos mudam.

Efeitos colaterais do CBD

  • Cansaço
  • Irritação do estômago
  • Náusea

Efeitos colaterais do THC

  • Ansiedade
  • Ataques de pânico
  • Problemas de concentração
  • Sonolência
  • Tontura

CBD tem efeito alucinógeno: mito

Diferentemente do THC, o CBD tem pouca atividade psicoativa, ou seja, o paciente não sentirá nenhum tipo de sensação alucinógena durante o tratamento.

Paciente não fica viciado: verdade

O tratamento com cannabis medicinal não gera dependência. Pelo contrário, compostos com a erva podem ser usados exatamente no tratamento de vícios em tabaco e álcool, por exemplo.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress