O maior canal de informação do setor

Quais são os tipos de Cicatrizes

245

Uma das grandes preocupações dos pacientes, a cicatriz, é o resultado de fatores intrínsecos ao organismo do paciente e qualidade técnica do cirurgião

Como vai ser a minha cicatriz depois da cirurgia plástica? Este é um dos grandes questionamentos que o paciente tem ao decidir realizar um procedimento. Primeiro é preciso saber que as cicatrizes são  condições inerentes a qualquer ferida no corpo humano. Ela pode ser definitivamente, pouco ou não visível. Pode ser excelente, boa, aceitável, ruim, péssima ou quelóide.

É preciso saber que toda cirurgia é igual a uma cicatriz. Seu tamanho é compatível com o tamanho que se faz necessário à incisão. O aspecto da cicatriz depende de fatores intrínsecos de cada paciente, como idade, e também da técnica do profissional que executa a cirurgia. A boa notícia é que a maioria dos pacientes tem cicatriz excelente, boa ou aceitável.

Para o organismo, quanto mais robusta é a cicatriz, melhor, porque ele entende que o local não vai abrir novamente. Do ponto de vista estético, a cicatriz mais desejável é aquela tênue, com pouca força na sua reparação, sendo assim, muito pouco perceptível. Mas nem sempre a resposta do organismo do paciente proporciona este resultado.

O papel do cirurgião plástico na cicatrização

O cirurgião vai gerar uma ferida no local da cirurgia, ou seja, vai incisar (cortar) a pele e todos os tecidos subjacentes. Depois ele precisa fazer a síntese, fechar da melhor maneira possível para que ela tenha o melhor resultado cicatricial, a cicatriz mais tênue, menos perceptível e esteticamente aceitável. Para fazer isso, o fator técnico do profissional é fundamental. Procure sempre profissionais experientes e confiáveis.
O organismo do paciente

Se o cirurgião tem a melhor técnica, o melhor material, os melhores instrumentos para fazer a síntese da cirurgia, mas o organismo do paciente não responde bem para a melhor cicatrização, a cicatriz pode não ter o melhor resultado. Nesta situação, não há controle.

O processo cicatricial tem fases: nasce, cresce, amadurece e estabiliza. Normalmente, espera-se que uma cicatriz comece a amadurecer entre dois e quatro meses após a cirurgia. Mas para alguns tipos de cicatriz, este processo dura até dois anos. Cada pessoa tem seu próprio processo cicatricial. As cicatrizes podem ser:

  • Atróficas: são cicatrizes nas quais a fase de proliferação está prejudicada. Nasceu e não teve um crescimento adequado. Em uma comparação com a altura humana, ela ficou anã. Como a cicatriz tem que ter a habilidade de juntar as duas bordas da ferida e dar condição, mesmo após o seu amadurecimento, a que essas bordas não se afastem, o contrário acontece neste tipo de cicatriz. Suas características mais marcantes são o afastamento das bordas da pele e depressão da sua localização.
  • Hipertróficas. Estas, ao contrário das atróficas, apresentam-se com crescimento além do normal. Como consequência, elas são altas e muitas vezes largas.
  • Retraída (Contratura): são cicatrizes normalmente hipertróficas, mas quais a sua região mais profunda produziu um crescimento que leva a se aderir a outros tecidos profundos. É uma força contrátil de baixo para cima ou longitudinal.
  • Queloidiana (quelóide): são cicatrizes com característica tumoral, não param de crescer. Em virtude de sua fase de crescimento ser muitíssimo exuberante, ela vai se apresentar sempre muito alta e além da superfície da pele. Invadindo as laterais, coloração muito avermelhada por causa da grande vascularização. Ela tem alguns sintomas como dor, prurido (coceira), ardência, pinicadas e choques. Quanto ao crescimento, ela pode ser verdadeira ou não. Por exemplo, pessoas que fazem quelóide em uma região específica do corpo, região pré external (entre as mamas) e regiões de pele muito espessa, como dorso e a parte externa e alta do braço. Quando verdadeira e na sua intensidade máxima, ela pode estar presente em qualquer micro lesão como foliculite, acne ou depois de micro lesões provocadas pelas unhas em um simples coçar. Podem acontecer até em lesões naturalmente ocorridas na digestão dentro do intestino. Nesses casos, a pessoa tem pouca sobrevida, pois estes quelóides vão obstruir o intestino, levando à morte.
  • Normotróficas: compõe a maioria dos resultados cicatriciais. São finas, semelhantes à superfície da pele, de cor mais clara do que à pele vizinha, sendo assim pouco perceptível à visão de uma certa distância. Nesta cicatriz todas as suas fases estão dentro da normalidade.

Então, como vai ficar minha cicatriz?

Existe alguns princípios que os médicos trazem ao paciente: não há como prever exatamente como vai ficar a sua cicatriz. Primeiro porque depende de fator genético particular de cada paciente. Depende também da espessura da derme da área implicada e de outros fatores já relatados em cicatrizes patológicas (todas as cicatrizes não normotróficas). Outro princípio é procurar, no corpo do paciente, pelo menos três cicatrizes. Este histórico nos traz uma amostra de como provavelmente será o resultado cicatricial de cada um.

Fonte: Edmilson Lúcio

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação