Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Redes associativistas da Febrafar movimentam R$ 30,45 bilhões

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Redes associativistas
Foto: Divulgação

 

As 15.208 lojas das 67 redes associativistas da Febrafar registraram um faturamento de R$ 30,45 bilhões em 2023, crescimento de 12%, segundo dados da IQVIA. Os índices estão acima do crescimento do varejo farmacêutico geral, que ficou em 8,15%, o que representa uma movimentação de R$ 199,1 bilhões.

“O associativismo praticado pela Febrafar manteve o movimento observado nos últimos anos de crescimento de aproximadamente 50% acima do crescimento do mercado. Isso demonstra a força desse modelo que proporciona às redes a possibilidade de melhores condições comerciais, troca de conhecimentos e de acesso a digitalização que não conseguiriam se atuassem sozinhas”, conta Edison Tamascia, presidente da Febrafar e da Farmarcas.

Para o diretor geral da Febrafar, José Abud Neto, o grande destaque no crescimento é que ele é planejado de forma que não só as lojas da Febrafar cresçam, mas todos que se relacionam com elas. “Nosso propósito é melhorar a vida das pessoas e para isso sabemos que temos que fazer com que todos ganhem nas relações profissionais que nos propomos a ter. Assim, esse resultado é motivo de grande satisfação”.

Análise e projeção para 2024 das redes associativistas

“Apesar de não ter ultrapassado dois dígitos, o crescimento do varejo farmacêutico nacional é considerável, superando o PIB e outras métricas que analisam o mercado nacional”, avalia Tamascia. Contudo, se observa que alguns subcanais enfrentaram desafios significativos. Por exemplo, o setor independente registrou crescimento, porém muito abaixo da média do mercado, assim como as redes regionais.

Já para 2024, a previsão é de um cenário de estabilidade, sem um crescimento expressivo acima da média deste ano. Por isso a importância dos empresários do setor estarem cada vez mais capacitados.

“Estamos passando por uma significativa transformação no comportamento do consumidor, nos meios e formas de compra e na concorrência, impulsionada por um processo acelerado de digitalização. Nesse ponto, observa-se que apenas alguns grupos conseguem aderir a essa transformação. Sendo que parte do varejo, mesmo que quisesse, não tem disponibilidade de ferramentas e sistemas, e quando encontram são inacessíveis no ponto de vista de preço”, explica.

Ampliação do mix

Um fato relevante no mercado farmacêutico é a sua total auditabilidade, facilitando as tomadas de decisões, desde que haja acesso às informações necessárias. Também se observa uma tendência de as farmácias ampliarem seus espaços físicos, visando aumentar a oferta de produtos não medicamentos, em busca de maior lucratividade.

“A venda desses produtos, especialmente dos setores de perfumaria, higiene, beleza e dermocosméticos, está se tornando cada vez mais relevante. Algumas farmácias estão ampliando o espaço das lojas e diversificando o mix, incluindo itens de conveniência, dessa forma, antecipando uma tendência de mercado”, finaliza Tamascia.

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress