fbpx

Reforma tributária é o grande desafio da indústria farmacêutica

Reforma  tributária

 

Para o Sindusfarma, entre os principais desafios da indústria farmacêutica, está a necessidade urgente de uma reforma tributária. A entidade alertou para a questão que impacta o setor durante o Fórum da Indústria do Grande ABC, realizado nesta quinta-feira, dia 4.

“Hoje a indústria farmacêutica é muito dependente de insumos internacionais e temos que mudar isso. O grande vilão de toda indústria acaba sendo a carga tributária, que é muito elevada também no nosso setor. Esses altos tributos são somados à questão da burocracia, onde o ramo farmacêutico gasta 1.500 horas de trabalho por ano só para pagar impostos, enquanto nos outros países o número é bem menor”, afirma Renato Rezende, advogado do Sindusfarma. As informações são do Diário do Grande ABC.

Setor de HPPC também é a favor da reforma tributária

Karla Brandão Karla Brandão, diretora de Gestão, Comunicação e Marketing da ABIHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos), também citou a tributação como a grande dificuldade do setor, além da sustentabilidade. “A reforma tributária é prioridade, nós somos o terceiro setor mais tributado do País, bem como a questão da necessidade de investimentos em sustentabilidade e descarbonização da economia”, comentou.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra