Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Saiba as diferenças de proporções nos óleos de cannabis

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Saiba as diferenças de proporções nos óleos de cannabis

Farmacêuticos devem ter especial atenção com as revisões medicamentosas que envolvem óleos de cannabis. Como mensurar a dosagem, a frequência ou mesmo a via de administração mais adequada? Com a palavra, o médico Leandro Ramires, diretor científico da Associação Brasileira de Pacientes de Cannabis Medicinal (Amame).

Os óleos artesanais são fabricados por meio da diluição de um extrato puro de cannabis (full spectrum) em um veículo oleoso, que pode ser um óleo vegetal (coco, oliva, milho ou girassol) ou produzido industrialmente com triglicerides. Aí se enquadram os óleos produzidos pelas associações de pacientes usuários de cannabis no Brasil.

Muito produtores artesanais, segundo o médico, sem conhecimento específico da quantidade de miligramas dos principais fitocanabinoides, se utilizam de porcentagens para a produção dos óleos. Elas são definidas como 5% ou 10%. Dessa forma, num frasco contendo 30 ml de óleo artesanal, serão 28,5 ml ou 27 ml de azeite de oliva e 1,5 ml ou 3 ml de extrato puro de cannabis, respectivamente, para 5% ou 10% da diluição.

Outros produtores também artesanais, de maneira menos precisa, consideram uma “porcentagem potencial” de fitocanabinoides anunciada na compra das sementes, de uma variedade específica, para afirmar que seu óleo medicinal é “x %” ou “y %”. Mas, de acordo com o médico, usando exclusivamente o critério percentual, torna-se impossível saber quantas miligramas de determinado canabinoide o paciente está usando.

Dosagem de óleos de cannabis é definida em miligramas

Para se evitar efeitos adversos com óleos de cannabis, é fundamental que a dose utilizada seja conhecida em miligramas. “A literatura científica demonstra que uma dose de até 30 mg, distribuída ao longo do dia e a partir de um óleo full spectrum, é bastante segura e tem pouca chance de desencadear um efeito psicoativo se for administrada por via oral ou sublingual”, reforça.

Como exemplo da importância da dosagem em miligramas, ele cita uma amostra do extrato puro de cannabis, produzido pela Amame, em 2022 e encaminhado para análise laboratorial. A avaliação considerou parâmetros como concentração de vários fitocanabinoides, terpenos, flavonoides, umidade, concentração de álcool residual, metais pesados e demais contaminantes químicos e biológicos.

O laudo da análise indicou uma concentração de THC igual a 76,9% (mg/100 mg), o que significa que em 1 grama (1000 mg) do extrato puro de cannabis havia 736,9 mg de THC. No lote especifico de onde foi retirada a amostra para análise, o frasco de 30 ml do óleo medicinal integral da cannabis, continha 814 mg de extrato puro de cannabis, sendo cerca de 600 mg de THC, acrescido de 29,2 ml de azeite de oliva extravirgem.

A diluição ficou aproximadamente em 2,7%, contrastando com os 5% ou 10% descritos mais acima no caso de outros produtores. Segundo o médico, dessa forma, fica muito mais fácil ajustar uma dose de manutenção contínua, além de se evitar ultrapassar 30 mg de THC por dia.

Ele acrescenta que outro fator a ser considerado é o número de gotas por dose. Se a referência de dosagem é em mg/ml de fitocanabinoide no produto, é importante saber quantas gotas tem num mililitro do produto que o paciente está utilizando. Dependendo da densidade do óleo, do bico e da forma do conta-gotas e até da altitude em relação ao nível do mar, 1 ml de óleo medicinal pode ter 20 ou até mais gotas. O ideal é que o conta-gotas seja graduado em mililitros.

Proporção entre CBD e THC

A proporção entre os fitocanabinoides CBD e THC num mesmo produto medicinal também exige critérios. O médico ressalta que existem milhares de combinações entre as quantidades de um ou outro fitocanabinoide. Portanto, há uma grande variedade de óleos medicinais integrais de cannabis mundo afora. Chamar tudo de canabidiol, segundo ele, não faz o menor sentido.

Para ilustrar, ele relata o trabalho de análise feito em conjunto com outros colegas pesquisadores do desempenho de um óleo medicinal com relação CBD/THC igual 75:1. Houve uma melhora de cerca de 30% nos parâmetros comportamentais de pacientes autistas.

Estudo semelhante produzido em Israel, utilizando uma relação CBD/THC igual a 20:1, demonstrou resultados superiores a 70% de melhora em parâmetros semelhantes.

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress