O maior canal de informação do setor

Vacina Covaxin tem eficácia de 77,8% contra a covid-19, diz estudo

99

Testes realizados na Índia apontam que a vacina BBV152, popularmente conhecida como Covaxin, é 77,8% eficaz contra a covid-19. Os resultados, que ainda deve ser revisados, foram divulgados na plataforma MedRxiv nesta 6ª feira (2.jul.2021).

Veja também: Depois de negociação da Precisa, dose da Covaxin foi de US$ 10 para US$ 15

Eis a íntegra do estudo (74KB), que tem base em um ensaio clínico randomizado duplo-cego de fase 3 -ou seja, os participantes que recebem, ou não, a dose real da vacina são escolhidos de forma aleatória.

Siga nosso Instagram

Adultos saudáveis entre 18 e 98 anos receberam 2 doses do imunizante com um intervalo de 4 semanas em 25 hospitais indianos.

Durante a pesquisa, 130 pessoas desenvolveram os sintomas do vírus 2 semanas após serem imunizados com a 2ª dose. Entre eles, 24 eram do grupo que recebeu a dose real da vacina e 106 do grupo que recebeu placebo.

Dos infectados após terem sido inoculados com doses placebo, 15 ficaram em estado grave. No grupo dos imunizados com a Covaxin, apenas 1 ficou internado com sintomas graves. Assim, a taxa de eficácia contra casos graves é de 93,4%.

Além disso, o imunizante demonstrou eficácia de 65,2% contra a variante Delta -B.1.617.2.

A pesquisa não identificou casos de reação alérgica ou morte relacionados à vacina. ‘O BBV152 foi imunogênico e altamente eficaz contra a doença associada à variante de Covid-19 sintomática e assintomática, particularmente contra doenças graves em adultos’, concluiu o estudo.

Na 4ª feira (30.jun.2021), a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) suspendeu o prazo para concluir a análise do pedido emergencial da vacina indiana por falta de documentos obrigatórios. Segundo o órgão, sem essas informações -que são consideradas essenciais-, não é possível atestar a segurança nem a eficácia do imunizante.

A Covaxin está no centro da apuração da CPI da Covid por um suposto esquema fraudulento de compra de vacinas.

Fonte: Poder 360

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação