Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Mais de 25 milhões de brasileiros sofrem de refluxo

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

refluxo gastroesofagico
Foto: Freepik

Um incômodo na região do peito, parecido com uma queimação. O refluxo gastroesofágico ocorre quando o conteúdo gástrico, que pode ser gases, líquidos ou sólidos, retorna para o esôfago. O problema pode acontecer em certos momentos do dia, sem necessariamente indicar uma doença, especialmente após as refeições e em recém-nascidos.

Segundo dados do Colégio Brasileiro de Cirurgia Digestiva (CBC), 25,2 milhões de brasileiros sofrem dessa condição, que afeta tanto crianças quanto adultos, sendo  uma das principais razões pelas quais os pacientes procuram um gastroenterologista. Por ser uma condição crônica, ela pode significativamente afetar a qualidade de vida e interferir nas atividades diárias do indivíduo.

Por outro lado, o refluxo fisiológico, como mencionado anteriormente, é considerado normal devido à sensibilidade dos tecidos nos bebês e geralmente desaparece espontaneamente na maioria dos casos.

Quais são os sintomas do refluxo

Os sintomas mais comuns incluem sensação de queimação no peito e regurgitação, que é o retorno de alimentos à boca. No entanto, há outros sinais que merecem atenção, tais como:

  • Dor no peito
  • Tosse crônica
  • Vômitos intensos
  • Dificuldade de ganho de peso e estatura na infância
  • Pneumonia

Outras condições também podem apresentar sintomas semelhantes. A principal é a pirose funcional, na qual há uma alteração na sensibilidade do esôfago ou uma alteração na comunicação entre o cérebro e o esôfago, sem um aumento na exposição ácida.

Quais são as causas

Existem vários fatores que podem estar envolvidos no refluxo. Um dos principais é o sobrepeso ou a obesidade.  Estudos revelam que uma perda de peso em torno de 5% pode melhorar os sintomas e reduzir a inflamação.

A alimentação também desempenha um papel importante no refluxo. Alimentos ricos em cafeína, gordurosos, bebidas alcoólicas e gaseificadas, assim como o tabagismo, podem agravar os sintomas.

Além disso, certos hábitos alimentares podem contribuir para o refluxo, como deitar-se logo após comer e consumir líquidos durante as refeições.

Como tratar o refluxo

O tratamento do refluxo gastroesofágico é baseado em mudanças comportamentais, tais como:

  • Perder peso
  • Evitar alimentos que predisponham ao refluxo
  • Fracionar a dieta em menores quantidades e intervalos menores
  • Evitar ingerir líquidos durante as refeições
  • Evitar deitar-se de 2 a 3 horas após uma refeição

Para ajudar a aliviar os sintomas, uma opção é utilizar o Gastrogel, um medicamento indicado para azia associada ao refluxo gástrico, esofagite de refluxo, hérnia de hiato e hiperacidez.

Além dos medicamentos que reduzem a acidez do estômago, em casos mais graves ou quando há contraindicações para o uso desses medicamentos, a cirurgia pode ser considerada como uma opção terapêutica.

No entanto, é importante ressaltar que apenas um médico pode ajustar a dose do medicamento ou encaminhar o paciente para cirurgia. Em algumas situações, pode ser necessário realizar terapia de manutenção ao longo da vida, mas os medicamentos atuais são geralmente bem tolerados e seguros.

Este conteúdo é meramente informativo e não substitui a consulta médica. Para esclarecimento de dúvidas adicionais sobre uma patologia, medicamento ou tratamento, converse com um profissional de saúde de sua confiança. Evite sempre a automedicação

 

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress