Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Anvisa aprova venda do Lagevrio para tratamento da Covid-19

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Lagevrio

 

A Diretoria Colegiada da Anvisa aprovou nesta quinta-feira, dia 22, a venda do medicamento Lagevrio (molnupiravir), utilizado para o tratamento da Covid-19. O antiviral, da MSD, poderá ser vendido em farmácias e hospitais particulares do país.

- Advertisement -

A decisão autoriza o fornecimento do medicamento para o mercado privado, com a rotulagem em inglês, porém com a entrega aos pacientes de bula e folheto informativo em português abordando as informações referentes à gravidez e lactação, juntamente com cada frasco de molnupiravir.

Além disso, a bula em português deverá ser disponibilizada no site institucional da MSD Brasil e no site global da empresa. Também será possível escanear o código QR disponível no rótulo do produto que direcionará o usuário para o site global da empresa, para acesso às bulas.

A venda em farmácias deve ser realizada sob retenção de receita pelo farmacêutico. Uma via da Receita de Controle Especial deve ficar retida no estabelecimento. O farmacêutico dará as orientações ao paciente sobre o uso correto do medicamento.

A aprovação levou em consideração a venda do medicamento ao mercado privado em outros países que tenham obtido a aprovação do medicamento por autoridades internacionais de referência, como Estados Unidos, Japão e Reino Unido. A medida também considerou o cenário epidemiológico atual, em que se observa a circulação de novas subvariantes da Ômicron e o aumento de casos da doença no país.

Segundo a diretora relatora, Meiruze Freitas, a venda no mercado privado irá aumentar a facilidade de acesso ao tratamento da Covid-19, visto que o medicamento deve ser tomado dentro de cinco dias após o início dos sintomas. “Para ajudar a prevenir a progressão da doença, internações hospitalares e mortes, os medicamentos antivirais para infecções respiratórias agudas devem ser usados o mais cedo possível, após o correto diagnóstico da infecção.”, afirmou a diretora.

Ela reiterou ainda que o tratamento não substitui a vacinação. “Reafirmo e enfatizo que os benefícios esmagadores da vacinação, na proteção contra as formas graves e óbitos ocasionados pela Covid-19, superam em muito o risco das raras reações adversas relacionadas às vacinas aprovadas pela Anvisa”, complementou Meiruze Freitas.

Saiba mais sobre o Lagevrio

O Lagevrio, utilizado no tratamento da Covid-19, teve seu uso emergencial aprovado no Brasil em 4 de maio deste ano. É indicado para o tratamento da doença leve a moderada, em adultos com risco de progredir para Covid-19 grave, incluindo risco de hospitalização ou morte.  

– Apresentação

Cápsulas opacas de cor laranja, na concentração de 200 mg de molnupiravir. As cápsulas têm o logotipo corporativo e “82” impressos em tinta branca.   

– Restrições de uso

O medicamento é de uso adulto, com venda sob retenção de receita. Uma via da Receita de Controle Especial deve ficar retida no estabelecimento.    

– Indicação

O Lagevrio é indicado para o tratamento da Covid-19 leve à moderada em adultos com resultado positivo, e com risco de progredir para Covid-19 grave, incluindo risco de hospitalização ou morte.  

– Posologia e modo de uso

O Lagevrio se apresenta em uma cápsula de 200 mg de molnupiravir. A posologia é de 800 mg (4 cápsulas de 200 mg) por via oral, a cada 12 horas, por 5 dias, com ou sem alimentos. O medicamento deve ser administrado assim que possível, após o resultado positivo do teste de diagnóstico para o Sars-CoV-2 e avaliação médica, e no prazo de cinco dias após o início dos sintomas.  

– Orientação de dispensação

O medicamento deve ser dispensado exclusivamente pelo farmacêutico, com retenção de receita. Uma via da Receita de Controle Especial deve ficar retida no estabelecimento. O farmacêutico deve informar ao usuário que o medicamento é de uso individual e exclusivo ao paciente que passou por avaliação médica e que recebeu a prescrição. Portanto, o Lagevrio não deve ser utilizado por indivíduos sem a devida avaliação médica. Cumpre ao farmacêutico também realizar as demais orientações quanto à posologia, ao modo de uso e às interações, ou seja, informações quanto ao uso correto do medicamento.

– Limitações de uso 

O Lagevrio não está autorizado para tratamento de pacientes com menos de 18 anos de idade, para início de tratamento em pacientes já hospitalizados devido à Covid-19. O medicamento também não está autorizado para a profilaxia pré-exposição ou pós-exposição para prevenção de Covid-19. O medicamento não está autorizado para uso por mais de 5 dias consecutivos.

 

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress