fbpx

Covid-19: novo estudo sugere que falta de vitamina D eleva risco de morte

Covid

Um estudo realizado por pesquisadores indonésios independentes, publicado no repositório de pesquisas acadêmicas Social Science Research Network (SSRN), sugere que os pacientes da Covid-19 com carência de vitamina D têm mais chances de morrer com o agravamento da doença.

Siga nosso instagram: https://www.instagram.com/panoramafarmaceutico/

Os cientistas da Indonésia lembram que o estudo não é definitivo, uma vez que os pacientes avaliados com altos níveis de vitamina D eram jovens e saudáveis e a pesquisa deles ainda não revisada por pares. Outro estudo da Universidade Anglia Ruskin, em Cambridge, na Inglaterra, relatou recentemente que os países europeus com menos incidência de sol – principal fonte de vitamina D – tiveram taxas significativas de vítimas fatais da Covid-19.

As evidências fizeram com que o Instituto Nacional para Saúde e Cuidados de Excelência (NICE) começasse uma revisão urgente de estudos sobre a vitamina D e a Covid-19 com o apoio da agência Public Health England (PHE). As instituições inglesas vão avaliar a possibilidade do nutriente ser usado para salvar vidas da pandemia. A publicação está prevista para as próximas semanas.

Controvérsia
A vitamina D virou assunto controverso durante a pandemia do novo coronavírus. Isso porque alguns estudos apontaram que pacientes com Covid-19 apresentaram carência de vitamina D, daí para uma onda de mensagens dizendo que ela seria capaz de evitar o vírus foi um pulo. O próprio Ministério da Saúde teve que desmentir estes boatos.

De fato, a vitamina D auxilia no equilíbrio de cálcio e fósforo, necessários para a mineralização dos ossos, contração dos músculos, condução nervosa e função celular geral. Pesquisas de várias partes do mundo investigam se ela consegue prevenir doenças autoimunes, mas ainda não foi possível comprovar isso de maneira robusta.

O uso de suplementos deve ser avaliado com cuidado, pois em excesso – o organismo de uma pessoa saudável deve manter uma faixa de vitamina D acima de 20 ng/ml (nanogramas por mililitro) – pode ocasionar a hipercalcemia (excesso de cálcio), que gera prejuízos para a função renal, formação de cálculos ou perda óssea.

Fonte: Metrópoles

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/2020/06/30/dependencia-externa-preocupa-industria-farmaceutica/

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra