O maior canal de informação do setor

CPI pode pedir apreensão de passaporte de dono da Precisa, diz Renan

139

CPI – O relator da CPI da Covid-19, senador Renan Calheiros (MDB-AL), afirmou, nesta quarta-feira (18/8), que o colegiado não descarta pedir a apreensão do passaporte e determinar a convocação coercitiva de Francisco Maximiano, sócio-diretor da Precisa Medicamentos – intermediária da venda da vacina indiana Covaxin.

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/hilab-treina-farmaceuticos-para-aprimorar-atencao-em-saude/

Ao ser questionado sobre o assunto, Renan deixou em aberto a possibilidade da adoção das medidas, mas demonstrou otimismo pela realização da oitiva, marcada para ocorrer nesta quinta-feira (19/8). Há, internamente, uma avaliação dos senadores de que Maximiano tem adotado estratégias para evitar o depoimento ao colegiado.

‘É claro que sim [podemos tomar medidas mais drásticas], mas a expectativa que nós estamos tendo é de que ele amanhã venha depor, né? E possa fazer um bom depoimento, não do ponto de vista dele apenas, mas do ponto de vista do que a investigação pretende’, disse o relator.

Em uma das investidas para driblar a oitiva, Maximiano alegou que necessitaria fazer quarentena de 15 dias, recomendada pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), em razão de viagem à Índia. A necessidade de cumprimento da medida sanitária levou o colegiado a suspender o depoimento e remarcá-lo.

Em 4 de agosto, Maximiano voltou a pedir que a CPI remarcasse sua oitiva após nova viagem ao país e em função da quarentena. No entanto, neste meio período, a defesa do investigado acionou o Supremo Tribunal Federal (STF) solicitando que a Corte autorizasse o não comparecimento do empresário ao depoimento.

Fonte: Metrópoles

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação