O maior canal de informação do setor

Elas engravidaram ao tomar antibiótico e anticoncepcional

8.520

Histórias de mulheres que combinaram anticoncepcionais – tanto pílula quanto injeção – com antibióticos e engravidaram não são raras. Durante a apuração desta reportagem, que durou seis dias, pelo menos seis novos casos surgiram.

medicamentos costuma ser comum, o ideal é que o anticoncepcional seja substituído por outros métodos contraceptivos ou haja a combinação com o preservativo”, alerta Wagner. Remédios para tireoide e corticoides também merecem uma atenção especial, já que modificam a absorção do anticoncepcional no corpo.

Outro detalhe que as mulheres precisam estar ligadas é com casos de vômitos e diarreias, principalmente, durante o uso de antibióticos. Eles costumam desmantelar a flora intestinal. “Fique atenta com os efeitos colaterais dos antibióticos em casos de infecções intestinais. Se a mulher tiver tomado a pílula e passado mal em seguida, isso fará com que o remédio perca o efeito”, diz Hernandez.

Chás também? Sim. “Sabemos também que a erva de São João, também conhecida como Hipérico, reduz o efeito”, avisa o médico.

Outras falhas citadas pelos médicos são o esquecimento da pílula (que precisa ser responsabilidade tanto do homem quanto da mulher) e não ler a bula.

Não tem uma semana em que não aparece uma grávida que tomou antibiótico junto com anticoncepcional. Esses casos são comuns no consultório. E o problema está em começar a tomar anticoncepcional sem orientação médica É preciso entender o que está tomando, as modificações que ocorrem no organismo, os riscos. Não é só enviar ‘o nome de um anticoncepcional bacana’ como me pedem algumas pacientes. É preciso definir horários, os ciclos. A prescrição de medicação demanda tempo e é necessária. Não é algo simples”, diz Alberto, que garante alertar suas pacientes sobre as ciladas que ocorrem no universo feminino.

Portanto, a recomendação é: está tomando antibiótico, faz uso frequente dos medicamentoscitados ou qualquer outro remédio para infeção? Leia a bula médica, pergunte ao médico e use camisinha também. “O ideal é usar o preservativo no mesmo dia que começou a tomar antibiótico e seguir assim por mais dois, três dias após o fim do tratamento”, afirma d’Auria.

Um canal e crise de sinusite resultaram em bebês!

Aos 29 anos, com uma segunda gravidez não planejada, a recepcionista precisou adiar a faculdade. “Assim como coisas do dia a dia que deixamos de lado quando temos um bebê”, diz ela, que foi mãe pela primeira vez aos 17 anos também sem planejar e assume o vacilo dela e do companheiro. “Foi descuido meu.”

Gabriela Massi, 26, tomou o mesmo anticoncepcional durante oito anos sem problemas. Mas durante uma forte crise de sinusite (rotineiras em sua vida), sem saber dos possíveis efeitos, combinou a pílula com Azitromicina, antibiótico indicado para infecções de ouvido, bronquite, sinusite, úlceras e doenças sexualmente transmissíveis, além de uma injeção do corticoide Decadron.

“Continuei tomando o anticoncepcional normalmente até que minha menstruação atrasou. Fiz três testes de farmácia e deram negativo. Mas aí se passaram 20 dias e nada. Fiz o exame de sangue, negativo também. Marquei consulta na ginecologista para ver se estava com algum problema ginecológico ou hormonal e fui fazer exames”, conta a jovem, que descobriu a gravidez durante o transvaginal. “Na hora, soube que estava grávida de quase quatro meses e de um menino. Foi tudo junto”, lembra.

Há 11 anos em um relacionamento, a notícia foi recebida com entusiasmo pelo companheiro de Gabriela, mas com muitos medos por ela. “Queria engravidar, mas não com 26 anos, fazia planos para mais tarde. Tinha começado há só um mês num novo trabalho”, conta ela, que atualmente está com um bebê de cinco meses em casa.

Pega de surpresa, a jovem faz uma reclamação. “Se na triagem do posto de saúde a gente informa que toma anticoncepcional, por que o médico não verifica e avisa que antibióticos cortam o efeito? Já que perguntam se os pacientes tomam algum medicamento deveriam explicar.”

Fonte: UOL

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação