O maior canal de informação do setor

Entidade inicia projeto de devolução de medicamentos acumulados

135

O presidente da Associação de Apoio e Defesa dos Usuários do SUS de Rondônia (Aadus), Ademar Bispo informou nesta quarta-feira (18), ter iniciado um projeto que visa oferecer o destino correto para medicamentos que estejam acumulados em residências, sem que a pessoa saiba como destiná-lo de uma forma mais certa. A entidade foi criada no ano de 2011 e já conta com um representante junto ao Conselho Municipal de Saúde (CMS). A iniciativa surgiu após o mesmo ter flagrado algumas pessoas descartando remédios em locais inadequados.

Veja também: No Pará, PRF apreende comprimidos de medicamento proibido pela Anvisa

Doação

Ademar Bispo que é servidor municipal há 12 anos, atualmente cursa enfermagem, estando no 7º período. Segundo ele, costumeiramente, não é difícil flagrar pessoas descartando medicamentos em locais inapropriados. Essa atitude, impensada, acaba colocando em perigo a vida de pessoas que sem saber, pegam esses produtos, levam para suas casas e terminam consumindo os mesmos sem ter qualquer noção das situações que podem causar.

Siga nosso Instagram

‘Nosso objetivo é tentar conseguir tirar a medicação de dentro de casa, principalmente, se não tiver sendo mais usado’, declarou. Ainda de acordo com Ademar Bispo, o lema é ‘Doando para quem precisa, sem burocracia’. Ele lembrou que às pessoas necessitadas de medicamentos, sem condições de compra, terá que apresentar, obrigatoriamente, a receita.

Busca e parceiros

Para evitar burocrática, o presidente da instituição garantiu que ele mesmo buscará os medicamentos doados, e que tentar achar parceiros que possam contribuir para esse projeto. Ele também garantiu que já iniciou uma lista com nomes de pessoas interessadas em doar, e muito mais, aquelas necessitadas.

Ainda segundo ele, os tipos de remédios que mais se acumula em casa são analgésico, antibióticos, e medicamentos conseguidos junto à Farmácia Básica, e os mais pedidos são Anti-inflamatório, analgésico e antibióticos (nimesulida para garganta e coluna). Para melhores informações os interessados devem manter contato através do telefone (celular) 69 9 9305 1363 .

Fonte: Diário da Amazônia

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação