O maior canal de informação do setor

Ex-diretor acusado de pedir propina tomou chope com lobista para comemorar acerto por Covaxin

359

O ex-diretor de Logística do Ministério da Saúde, Roberto Ferreira Dias, acusado de pedir propina de US$ 1 em uma negociação de vacinas da Astrazeneca, tomou um chope com um lobista da Precisa Medicamentos para comemorar o contrato da Covaxin.

Segundo informações da rádio CBN, Roberto Dias assinou o contrato para aquisição de 20 milhões de doses da vacina indiana contra a Covid-19 pelo valor de R$ 1,6 bilhão. Logo depois, se encontrou com o lobista José Ricardo Santana no restaurante Vasto, em Brasília.

Com passagem pela Anvisa entre 2019 e 2020, Santana virou sócio de Francisco Maximiano e Danilo Trento na Precisa Medicamentos. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), ele e Dias atuaram juntos para destravar uma compra de 12 milhões de testes de detecção do novo coronavírus.

Foi justamente neste encontro, que o coronel Blanco teria aparecido com Luiz Paulo Dominguetti e houve diálogo sobre a negociação de vacinas de Astrazeneca.

“Eu tinha uma reunião com um amigo nesse restaurante, José Ricardo Santana. Na sequência, o coronel Blanco chega com esse senhor que, posteriormente, foi identificado como Dominguetti. Como não é um evento marcado, combinado, eu não me recordo de detalhes”, disse na época o ex-titular da DLOG.

Roberto Dias foi exonerado do cargo após as suspeitas levantadas pela CPI. Em outubro do ano passado, o então ministro Eduardo Pazuello já tinha tentado tirar o servidor do cargo no MS, mas ele foi sustentado pelo presidente Bolsonaro.

Fonte: Bocão News

Veja também: https://panoramafarmaceutico.com.br/possivel-reacao-de-bolsonaro-ao-saber-de-irregularidade-na-compra-da-covaxin-divide-senadores/

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação