Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Farmácia independente cresceu após concorrência

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Farmácia independente cresceu após trauma e concorrência
* Divulgação

O gestor de farmácia independente pode enxergar a concorrência como um abalo para os negócios, ainda mais quando uma grande rede aloca o ponto bem em frente ao seu empreendimento. Mas para um empresário que vivenciou a experiência do comércio de rua, atuando como camelô nas ruas de São Paulo, isso só pode representar estopim para o crescimento.

Ivanó Araujo Filho, proprietário de uma loja da rede Maisfarma e de duas unidades da Ultra Popular, optou pelo segundo caminho. Sua trajetória marca o décimo episódio da seção Minha História, dedicada aos empreendedores que, heroicamente, movem as farmácias brasileiras.

Natural de Itaporanga, município localizado a 422 quilômetros de João Pessoa (PB), Araujo Filho relembra que sua entrada no varejo farmacêutico foi fruto de um trauma ocorrido em São Paulo (SP). O ano era 2004 e o empresário trabalhava como ambulante na região da 25 de Março, tradicional centro de compras da capital paulista. Certo dia, após sofrer um sequestro relâmpago e, com medo da violência, ele decidiu retornar à sua cidade natal juntamente com sua família.

O cunhado e a farmácia independente

E foi na pequena cidade paraibana que Araujo Filho começou sua carreira como gestor de farmácia independente. Em fevereiro de 2005 ele adquiriu a Ita Farma, de propriedade de seu cunhado, que tinha decidido fechá-la em função da mudança de carreira. Ele pagou R$ 70 mil pelo empreendimento.

“Foi um grande desafio na época, mas fui tocando o negócio da maneira que era possível. Quando o atendente precisava se ausentar, torcia para não entrar cliente porque não tinha a mínima ideia de como realizar o atendimento”, relembra.

“Até que, em 2008, fomos convidados pela Rede Mais para convertermos a bandeira. Aceitamos e fomos gerenciando o empreendimento com certa dificuldade, uma vez que não havia tanto desenvolvimento na parte de redes sociais e tecnologia como temos hoje”, acrescenta.

A virada de chave com a Farmarcas

O grande pulo foi quando a Rede Mais, que na época contabilizava 300 farmácias associadas, decidiu associar-se à Farmarcas. “Para ser aceito era preciso cumprir todos os requisitos que a administradora impõe. Das 300 lojas, 20 aderiram. Hoje, 18 farmácias da Rede Maisfarma são administradas pelo grupo”, ressalta.

Ivano e equipe
Ivanó ao lado da equipe: mudança na cultura de vendas local e uso de ferramentas estratégicas de gestão

E foi a partir daí que começou todo o desenvolvimento da pequena farmácia localizada no sertão da Paraíba. “Passamos a ter acesso a todas as ferramentas e inovações disponibilizadas pela administradora. Para se ter uma ideia, estamos em uma cidade pequena, onde na época a cultura de vender fiado era muito arraigada”, conta Araujo Filho. O primeiro desafio foi acabar com essa forma de pagamento, que representava 70% das vendas. O restante era pago em dinheiro, porque não havia o hábito de ter cartão de crédito ou débito entre os consumidores.

“Tínhamos quase a totalidade do faturamento atrelado ao crediário, sem saber quando íamos receber. E quando fechava o mês, o cliente só pagava 40% do que devia. Era uma prática que nos fazia recorrer a empréstimos bancários para ter capital de giro. A maior parte do nosso faturamento agora é em espécie. O cartão de crédito representa 40% da modalidade de pagamento”, destaca.

“A Farmarcas me ajudou a entender os números, a controlar os gastos internos, a folha de pagamento e a compra e composição assertiva do estoque. Fui tendo esse controle e até hoje faço questão de preencher o relatório PAI (Painel de Aferição de Indicadores) a fim de ter a real dimensão de como as lojas estão performando”, complementa.

Da zona de conforto à concorrência

Tudo estava correndo muito bem. No entanto, em 2021, uma grande rede de farmácias ocupou um quarteirão em frente à loja de Araujo Filho. Ele entrou em desespero e foi orientado a aproveitar o período de obra da concorrente para fazer adequações na loja, de modo que pudesse fazer frente ao novo empreendimento que estava por vir.

Em pouco mais de um ano o empresário alugou os dois imóveis ao lado da farmácia e expandiu a estrutura inicial de 70 m² para 200 m², só de área de venda. Na parte de trás estão o estoque e o escritório administrativo. Para minimizar o impacto da queda do faturamento com a inauguração da grande rede, a Farmarcas sugeriu que Araujo Filho procurasse uma cidade para abrir outra farmácia. A escolhida foi Afogados da Ingazeira, já no estado de Pernambuco, mas a 130 quilômetros de Itaporanga.

“Abrimos uma Ultra Popular, que supriu a queda de 30% no faturamento ocorrida nos primeiros meses. Hoje já ultrapassamos a rede e contabilizamos R$ 950 mil mensais e 22 mil clientes atendidos”, ressalta.

Em 2018 o empresário mudou-se para João Pessoa (PB) e, em setembro do ano passado, abriu uma segunda loja da Ultra Popular, no bairro de Mangabeira, ao lado da Caixa Econômica Federal. Com faturamento de R$ 500 mil, a farmácia exibe área de vendas de 170 m² e mais 100 m² no andar superior. Além disso, na área ao lado há um estacionamento para 20 carros e dez motos.

Hoje, as três lojas somam vendas na casa de R$ 1,8 milhão. “Estamos com um estudo aprovado para a abertura de uma nova loja da Ultra Popular em João Pessoa. A farmácia será construída em um terreno próprio e terá 200 m² de área de venda e estacionamento para até dez carros”, finaliza. O investimento foi de R$ 2 milhões. Nada mal para quem aprendeu que superar desafios é a rota única.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!