Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

O que se sabe sobre cannabis medicinal para crianças?

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

O que se sabe sobre cannabis medicinal para crianças?

Tratamentos clínicos para o público infantil sempre provocam polêmicas quanto ao nível de segurança das substâncias, ainda mais se o assunto for cannabis para crianças.

Mas de acordo com Ana Barchi, pesquisadora da consultoria especializada Kaya Mind, uma série de condições clínicas que afetam pacientes pediátricos em diferentes idades pode ter solução com o uso da planta. Boas referências para os farmacêuticos que atuam diretamente em programas de revisão medicamentosa nas drogarias.

Mas que doenças podem ser combatidas ou gerenciadas por meio da cannabis?

Cannabis medicinal para crianças com epilepsia

A cannabis medicinal para crianças com epilepsia provou-se eficiente por meio da administração oral. “Estudos clínicos indicaram que a substância promoveu a redução da recorrência das crises, melhoria da estabilidade do quadro, no tempo de duração das crises, no efeito benéfico da alteração de humor e diminuição dos espasmos”, afirma.

A doença acomete cinco a cada mil crianças, sendo mais comum antes dos dez anos de idade. A imaturidade do sistema nervoso central, com pouca reação inibidora dos neurônios, contribui para essa prevalência. Também por essa razão, 30% dos portadores de epilepsia nessa faixa etária continuam a conviver com sintomas mesmo depois de intensivas terapias com medicamentos tradicionais.

Cannabis para crianças com autismo

No caso de pacientes com transtorno de espectro autista, a principal finalidade do CBD reside no combate a comorbidades relacionadas a agressividade, hiperatividade, comunicação e distúrbios do sono. “O sistema endocanabinoide está associado à liberação de ocitocina e vasopressina, que atuam na modulação de comportamentos sociais”, relata.

Cannabis na TDAH

Casos de transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade (TDAH) já foram diagnosticado em 5 a 15% das crianças. Estudos científicos mostram que indivíduos que sofrem com TDAH têm um nível de dopamina inferior ao considerado adequado. Diante disso, os compostos da cannabis atuam na regulação do neurotransmissor e promovem benefícios aos sintomas”, explica.

Mas a cannabis pode criar dependência em crianças?

No artigo técnico que produziu a respeito da cannabis para crianças, Ana Barchi procurou também quebrar alguns mitos como o risco de dependência em pacientes pediátricos.

“O CBD não tem propriedades psicoativas. Além disso, as substâncias com princípios psicoativos são disponibilizadas em doses muito baixas em medicamentos, de forma que podem promover benefícios aos quadros de saúde e efeitos diferentes dos causados pelo uso recreativo da planta”, ressalta.

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress