fbpx

Como curar a herpes labial rapidamente?

Como curar a herpes labial rapidamente

Como curar a herpes labial rapidamente é a pergunta de dez entre dez pessoas que convivem com esse incômodo. Mas antes de pensar no tratamento, é importante entender também o que é a doença de fato.

A herpes mais comum é a que atinge a boca e os lábios, a famosa herpes labial ou tipo 1. Apesar de ser o tipo mais “famoso”, a infecção pode surgir em qualquer parte do corpo.

Incialmente, a herpes labial ou em outra parte do corpo apresenta-se como uma bolha, que evolui para uma feridinha. Esse machucado, que é contagioso, costuma durar de sete a dez dias antes de cicatrizar.

Mas não quer dizer que, uma vez cicatrizada a ferida, você está livre da herpes. Não é bem assim. O vírus causador da doença atravessa a pele e anda pelos nervos, se instalando no organismo e pronto para ressurgir ao menor sinal de fragilidade do sistema imunológico.

Agora você já sabe o básico sobre a doença, mas isso ainda não é o bastante. Por isso, no decorrer deste texto, traremos mais informações, para que você saiba como curar a herpes labial rapidamente.

Entenda mais profundamente o que é a herpes labial

O vírus causador da herpes labial é o herpes simplex. Assim como qualquer doença causada por vírus, a contaminação se dá por contato direto (por exemplo, beijar uma pessoa contaminada) ou indireto (utilizar os mesmos talheres ou copos que o paciente).

A infecção, que em alguns casos pode ser dolorosa, é um pouco mais comum na infância, por conta da menor atenção às atitudes de prevenção do contágio.

Apesar de a herpes labial ser a apresentação mais comum da doença, o quadro não costuma ser grave. Mas não se engane, a doença pode sim evoluir para casos mais preocupantes.

Ela é potencialmente fatal para pacientes com HIV, pode causar cegueira caso atinja os olhos e, se chegar ao cérebro, pode causar meningite.

Essas são outras áreas nas quais a herpes pode se manifestar:

  • Céu da boca
  • Faringe
  • Gengiva
  • Língua
  • Parte interior das bochechas
  • Pescoço
  • Rosto
  • Genitálias

Atenção! A herpes labial pode ser transmitida sexualmente, uma vez que o sexo oral seja praticado quando o paciente apresentar as lesões. Por isso, utilize preservativo.

Apesar disso, nem todo caso de herpes genital surge dessa maneira. O vírus da versão que acomete os lábios e o que afeta os órgãos sexuais comumente não são os mesmos, sendo o herpes simplex tipo 2 o responsável mais comum por esses casos.

O que desencadeia um novo quadro?

Como já comentamos, o que causa a herpes labial é o contato direto ou indireto com o vírus. Mas, como também já foi adiantado, o vírus permanece no organismo, voltando a se manifestar a cada oportunidade.

De maneira geral, qualquer doença ou situação que leve a uma queda na imunidade pode abrir uma porta para que a doença se manifeste novamente. Em resumo, as principais causas para novos episódios são:

  • Alergias
  • Alimentos que reduzam a imunidade ou causem episódios alérgicos
  • Estresse
  • Exposição excessiva à luz
  • Fadiga
  • Febre
  • Frio
  • Outras infecções

Vale destacar também que algumas pessoas com sistema imunológico fortalecido podem ter contato com vírus e demorar muito ou nunca apresentar sintomas.

E quais são esses sintomas? 

O principal sintoma nos casos de herpes labial ou em outra parte do corpo é o ardor ou coceira na região. Mas essa não é a única manifestação. A infecção também pode causar dores na garganta, cabeça e músculos, além de febre.

Como é feito o diagnóstico? 

O diagnóstico da herpes é simples, mas para saber qual vírus (tipo 1 ou tipo 2) está desencadeando a infecção, é necessária a análise de uma amostra de sangue. Essa amostra passará pelo exame de PCR, que irá detectar o DNA do vírus.

Como curar a herpes labial rapidamente?

O melhor medicamento e a melhor apresentação serão indicados por um profissional da saúde. E quanto mais rápido for o início do tratamento, há menos chances de os sintomas serem mais longos e intensos.

Outra medida que você deve tomar para curar a herpes labial rapidamente é não furar as bolhas.

Mas, infelizmente, a herpes labial não possui uma cura definitiva. Como já foi explicado, o vírus permanece no organismo e pode causar novos episódios em momentos de baixa imunológica.

As fases da doença

Basicamente, os casos da herpes labial seguem cinco fases, também conhecidas como níveis de contágio. Os primeiros sintomas surgem de dois a 20 dias após o contato com o vírus. As fases são as seguintes:

-Fase 1: Entre o primeiro e segundo dia, surgem os primeiros sintomas, como formigamento, dor e irritação. A intensidade é baixa

-Fase 2: Entre o segundo e o quarto dia, surgem as bolhas com líquido. A intensidade é moderada

-Fase 3: Entre o quarto e o quinto dia, as bolhas começam se romper, o líquido vaza e as úlceras tornam-se dolorosas. Essa é considerada a fase mais grave da doença

-Fase 4: Entre o quinto e o oitavo dia, as feridas começam a cicatrizar e a gravidade volta a ser moderada

-Fase 5: Entre o oitavo e o décimo dia, cai a casquinha formada e a cicatrização se completa

Tem tratamento caseiro?

 Tratamentos caseiros não irão curar a herpes labial rapidamente, mas podem servir de grande ajuda para aliviar os incômodos. Esses tratamentos são alimentos, bebidas, compostos naturais e suplementos.

Começamos pelo alho, que você pode simplesmente incluir na sua alimentação diária. Trata-se de um antibiótico natural, que ajuda a cicatrizar e secar as feridas.

O chá preto é uma bebida que também deve entrar na sua rotina. Ela é rica em antígenos, que aumentam a resistência do sistema imunológico, diminuindo os episódios.

A vitamina C é outra opção para dar aquele ganho na sua imunidade. O nutriente é facilmente encontrado no varejo farmacêutico, em diferentes apresentações.

Já o extrato de própolis, também disponível nas prateleiras das farmácias, contém propriedades antivirais e impedirá o crescimento das lesões.

Como evitar passar herpes para outras pessoas?

O contágio acontece por meio de contato direto ou indireto. Como? Em primeiro lugar, evite beijar ou falar muito próximo de outras pessoas.

Em segundo lugar, lave muito bem as mãos todas as vezes que tocar em alguma das feridas. Afinal, você também está em risco de se contaminar novamente ao tocar outra região do corpo.

Se o seu caso for de herpes genital, evite as relações sexuais.

Já comentamos sobre as fases da doença. É importante salientar que, durante todo o contágio, você pode acabar passando a infecção para outras pessoas. No entanto, a fase 3 é a mais virulenta pois, com a ruptura das bolhas, o líquido fica contaminado.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Notícias relacionadas

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra