Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Como descobrir se tenho alergia a medicamentos?

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

alergia a medicamentosalergia a medicamentos

Possuir alergia a medicamentos é algo muito comum por conta da alta convivência que possuímos com remédios. O sistema imunológico recebe a dose como se fosse um intruso no organismo, e para eliminá-lo produz anticorpos, refletidos nas reações.

Normalmente, as chamadas reações de hipersensibilidade a medicamentos surgem minutos após a ingestão da substância. Os sintomas mais comuns são coceiras, inchaços e manchas pelo corpo. É importante a conscientização devido aos perigos das alergias. Por isso, entenda hoje se você tem alergia a medicamentos.

Sintomas de alergia a medicamentos

Os sintomas variam de poucos minutos até 1 hora, dentre eles os mais leves são:

Já os mais graves são:

  • Anafilaxia;
  • Problemas cardíacos e respiratórios;
  • Tontura e náusea;
  • Diarreia;
  • Inchaço da língua e da garganta;

Em caso de sintomas mais graves, é indicado ir imediatamente ao hospital para que medidas sejam tomadas.

Como avaliar e detectar as alergias?

O clínico geral ou alergologista será o responsável pela avaliação dos sintomas. A partir dos medicamentos que foram utilizados e do histórico clínico, ele poderá confirmar se é alergia.

Também pode ser realizado um teste de alergia, utilizando pequenas quantidades em gotas de certos medicamentos na pele para analisar a reação do organismo. A partir disso, a pessoa consegue saber se tem alergia ou não e se deve evitar o uso de tal medicamento.

Em casos de sintomas muito graves, o teste de alergia não é sempre recomendado, tendo em vista que a aplicação da pequena quantia do medicamento poderia piorar ainda mais a situação. Nesses casos, a avaliação do médico é o que conta.

Principais remédios causadores de alergia

  • Antibióticos (amoxicilina, penicilina, eritromicina, tetraciclina, ampicilina);
  • Insulina de origem animal;
  • Aspirina e anti-inflamatórios não esteroidais (ibuprofeno, naproxeno);
  • Analgésicos (dipirona);
  • Medicamento para HIV (nevirapina, abacavir);
  • Relaxantes musculares (suxametônio, vecurônio, atracúrio);
  • Anticonvulsivantes (lamotrigina, carbamazepina, fenitoína);
  • Contraste de iodo para raio-x;
  • Quimioterápicos.

Medidas a serem tomadas e tratamentos

Antes de qualquer recomendação, deve se ouvir a orientação médica. A partir da gravidade do caso, alguma medida será indicada. Por exemplo, em casos leves um anti-histamínico como a hidroxizina é indicada. Em caso de alergia nos olhos, utilizar compressa gelada de soro é o recomendado, visando o alívio da região.

Em casos graves, as medidas são mais complexas. O primeiro passo é chamar uma ambulância, e somente assim poderão iniciar o tratamento, através de remédios que auxiliem na respiração, como broncodilatadores, corticoides ou anti-histamínicos. Já no caso da anafilaxia, o primeiro procedimento é o mesmo, mas o tratamento segue com injeção de adrenalina e internação durante horas para reavaliação vital e garantia da melhora dos sintomas.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!