Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Feira da Abradilan totaliza 23 mil participantes

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Feira da Abradilan
Foto: Panorama Farmacêutico

A expectativa da organização da feira da Abradilan era atrair 20 mil pessoas para os três dias de evento no Expo Center Norte (São Paulo-SP). Mas a projeção foi superada e o evento totalizou 23 mil participantes entre os dias 14 e 16 de março. Para conferir flashes da feira, clique aqui.

Além de reforçar conexões da distribuição e do varejo com mais de 140 expositores da indústria, a Abradilan Conexão Farma estimulou o intercâmbio de conhecimentos por meio de 30 horas de conteúdo. Um dos painéis mais concorridos foi o de João Branco, VP de marketing do McDonald’s, que apresentou a palestra muito além do famoso Big Mac e encerrou a programação do terceiro dia.

Por meio de sua vasta experiência, ele revelou a importância de colocar o cliente no centro. “Já trabalhei sete anos no mercado farmacêutico, em empresas como Novartis e P&G, mas hoje trabalho no marketing alimentício. Só no ano passado foram 12 recordes em 12 meses, nunca tivemos uma marca tão desejada e um faturamento tão alto, fruto de um planejamento feito há mais de três anos”, contou. “Como crescer? O segredo é entender suas barreiras. Escolha as maiores e as mais fáceis de quebrar, cuidado ao tentar atirar para todos os lados”, alertou

- Advertisement -

O especialista mencionou que ele e sua equipe visitaram praças de alimentação para entender melhor os clientes. A marca aposta em propostas tecnológicas, mas há algo além. “Criamos os totens de autoatendimento, o ‘clique e retire’ dentro do aplicativo (app), mas para mim, inovação é fazer muito mais pelo cliente com alguma novidade, e a tecnologia é somente um meio para isso, as pessoas não vão na farmácia porque precisam de uma caixinha de remédio, eles precisam de ajuda”, exemplificou.

Branco expôs ainda algumas técnicas, como a de fazer promoções mais curtas e em épocas que o consumidor não vai tanto à loja e finalizou com a mensagem. “Clientes não são leads, eles são pessoas que têm necessidade, precisam melhorar algo, cada um deles tem uma história, uma dor, mostre para ele que você se importa e sempre trabalhe com o coração”.

Feira da Abradilan expôs tendências do novo shopper

Ainda aconteceram diversos workshops para os varejistas se atualizarem com as tendências farmacêuticas. Colocando em foco as emoções e sentimentos do shopper e a sensação de segurança que todos os canais de vendas precisam transmitir, Ricardo Pastore, professor especialista em omnichannel, tratou sobre a omnicanalidade na farmácia do futuro.

“Os recursos vão chegar e o papel do gestor é acelerar o processo de modernização para vender mais. O varejo do futuro precisa provocar uma experiência positiva, atingir o estado de flow, as tecnologias não podem travar ou não funcionar”, alertou.

Para melhorar a facilidade com que os usuários fazem as compras, o professor ressalta alguns pontos que devem ser lembrados. “A experiência de compra se divide em quatro momentos chaves, que estão nesta respectiva ordem, a pesquisa, concepção, o contato efetivo com a loja e a avaliação final”.

Com o questionamento se os varejistas estavam realmente preparados, Gustavo Cruz, gerente de ofertas da Linx, tratou sobre os processos do marketing. “Estou me colocando à disposição do cliente ou esperando ele vir aqui? Meu catálogo digital apresenta todas as informações de compra para o consumidor? A loja física é um local de experiência de cliente, mas hoje, a realidade é o multicanal, appsdeliverylivestreame-commerce, redes sociais e troca de mensagens, todos trabalham de formas independentes, mas ao final, precisam ter uma experiência fluida e unificar experiências”, ressaltou lembrando que mais importante que o cliente que chega, é aquele que volta.

Tempos atrás, as pessoas tinham medo e insegurança de realizar compras on-line, mas hoje, essas sensações foram transformadas em buscas pelo conhecimento, muito mais do que só avaliar os preços, os clientes fazem uma comparação mais profunda entre os produtos, por isso, Alessandra Lima, sócia diretoria da Mind Shopper; e Andrea Prata, sênior design researcher, trouxeram maneiras de desenvolver o shopper on-line em uma jornada fluida. “O brasileiro está on-line para conexões e também para a saúde, a era digital pode aumentar sua lucratividade e auxiliar na manutenção de um relacionamento duradouro, tudo está a um clique”, afirmaram.

Não podemos esquecer que agora as avaliações dos serviços e atendimentos podem ser feitas facilmente nas redes e é necessário prezar pela credibilidade. “Considerem ter um chat ativo para facilitar a interação ou dúvida, assim como é feito na loja física. No digital também é possível ter um mix de estoque maior e mais positivo, fazendo parcerias com fornecedores”.

Entenda e interaja com a pluralidade do mercado

Revelando os 4 Rs do Varejo, Reputação, Respeito, Resultado e Relevância, Sandra Takata, presidente do Instituto Mulheres do Varejo e Olegário Araújo, cofundador da Inteligência360º, iniciaram a palestra com a seguinte indagação. “Como posso ter uma loja em que compradores mulheres predominam e não ter colaboradoras mulheres em cargos altos? Ou então uma loja em que o público LGBTQIA+ seja maior, sem nenhuma representatividade dentro da empresa? Precisa trazer isso para dentro da sua organização, eles precisam de alguém que saiba das dores”.

Trazendo dados relevantes e pouco discutidos, eles mostraram que em seus estudos quando perguntados se mulheres sofrem preconceito no mundo corporativo quando ficam grávidas, 74% dos homens e 84% das mulheres disseram que é verdade. Nessa mesma pesquisa, os dados apontaram que os homens se sentem mais respeitados pelo seu chefe do que as mulheres.

“Desde crianças as mulheres são incentivadas a brincar de bonecas e casinha, já os meninos, de carrinho e quebra-cabeça, isso acaba minando-as de discutir questões como análises financeiras e mercado de trabalho, isso vem desde a infância. Algumas mulheres também não contratam mulheres porque desde cedo, há um certo tipo de competição sendo criada entre elas”, terminou Sandra, avisando que é essencial olhar para esses assuntos, caso contrário, a reputação da sua empresa pode estar em jogo.

Para confraternizar com todos os parceiros, a feira organizou um show especial de encerramento, com as duplas Edson & Hudson e Gian & Giovani.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress