Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Vacina contra a dengue já está disponível para venda no Brasil

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Vacina contra a dengue

A tão aguardada vacina contra a dengue começa a ser comercializada em julho. Produzida pela farmacêutica japonesa Takeda, a Qdenga representa um avanço significativo na prevenção da doença que, nos primeiros cinco meses deste ano, causou 503 óbitos no país, segundo dados do Ministério da Saúde.

De acordo com o biomédico virologista e professor do Centro Universitário IBMR,

Raphael Rangel, a imunização contra a dengue é um passo importante para os brasileiros, uma vez que o Brasil é um país endêmico para arboviroses, principalmente nas regiões Sudeste e Nordeste, que são as campeãs nos casos de dengue, zika e Chikungunya.

“Infelizmente, dentre as arboviroses, a dengue leva muitas pessoas a óbito devido a sua versão hemorrágica. A Qdenga tem uma vantagem, pois protege contra os quatro sorotipos do vírus. Então, mesmo que a pessoa pegue a dengue com soro tipo um, que é o mais brando, ou pega o sorotipo da hemorrágica, certamente vai evitar os óbitos”, explica o biomédico.

O professor conta, ainda, que o imunizante representa um grande avanço para a saúde pública do país, uma vez que qualquer pessoa poderá ser imunizada. “Nós já tínhamos uma vacina para dengue voltada ao público que teve a doença e, então, ela evitava a reinfecção. Já a Qdenga é um imunizante que pode ser aplicado até mesmo em pessoas que nunca tiveram a doença, evitando o seu primeiro contágio”, avalia.

Vacina contra a dengue no SUS?

A vacina vem para somar com as medidas preventivas já tomadas pelas pessoas. Por isso, é recomendado que a população mantenha a conscientização aos controles vetoriais da dengue, evitando a proliferação dos mosquitos, como evitar água parada, manter as caixas d’água tampadas e vasos de plantas vazios.

A vacina será disponibilizada na rede particular, mas o Ministério da Saúde já estuda a possibilidade de incorporá-la no calendário vacinal do Sistema Único de Saúde. “Esperamos que em pouco tempo o imunizante seja disponibilizado pelo SUS. Caso isso realmente aconteça, será mais um grande avanço para vacinação brasileira. De toda forma, já existe um sinal verde do Ministério da Saúde com relação a isso”, pontua.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!