Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Pomadas para cabelo têm registros cancelados pela Anvisa

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Pomadas
Foto: Fabio Rodrigues-Pozzebom/ Agência Brasil

A Anvisa cancelou 1.266 notificações de pomadas para fixar ou modelar cabelos (Resolução-RE 4.972, de 28/12/2023). A medida faz parte das ações da autarquia para garantir produtos seguros, conforme estabelecido na RDC 814, de 1º/9/2023 

A medida tem vigência imediata e esses produtos não podem mais ser comercializados.  Anteriormente, outras resoluções (RE 3.484, de 14/9/2023, e RE 4.290, de 9/11/2023) cancelaram um total de 1.741 pomadas, com base no art. 8º da RDC 814/2023. 

Os cancelamentos da resolução publicada nesta sexta, dia 29, já estavam planejados como parte das ações contínuas da Anvisa ao longo do tempo e não estão diretamente relacionados aos eventos mais recentes de irritação ocular, que estão em investigação. 

Motivo do cancelamento do registro das pomadas

O artigo 8º da RDC 814/2023 estabelece que serão cancelados processos de regularização de pomadas capilares sem enxágue que atendam certas condições: 

  • Ter a forma física declarada “pomada”.
  • Incluir o termo “pomada” no nome ou na rotulagem, em qualquer idioma. 
  • Ter formulação com 20% ou mais de álcoois etoxilados, incluindo Ceteareth-20 (CAS nº 68439-49-6).
  • Ser notificado durante suspensão indicada nos Despachos da Diretoria Colegiada 9 (10/2/2023), 30 (17/3/2023), 31 (22/3/2023) e 59 (19/6/2023).
  • As empresas titulares devem ter pelo menos um produto sob sua titularidade temporalmente associado a evento adverso grave notificado à Anvisa. 

Emergência lotada após Natal

O uso de pomada para cabelo lotou a emergência oftalmológica do Hospital Municipal Souza Aguiar, no Rio de Janeiro, segunda e terça-feira, dias 25 e 26. O contato do produto com os olhos provocou queimaduras nas córneas em mais de 100 pessoas, que fizeram tranças ou outros penteados fixados com a pomada. As informações são da Agência Brasil.

Ao molharem os cabelos, a água com o ingrediente químico escorreu para os olhos. A lesão na córnea pode provocar irritação e inchaço, visão turva e até cegueira temporária, além de causar bastante dor.

A Vigilância em Saúde e o Instituto de Vigilância Sanitária do Rio (IVISA-Rio), já iniciaram uma apuração epidemiológica para identificar quais as marcas dos produtos usados pelos pacientes e em quais estabelecimentos os penteados foram feitos ou os produtos adquiridos.

Sintomas de queimadura ocular

Normalmente, a emergência oftalmológica do Hospital Souza Aguiar atende por dia cerca de 70 pacientes por problemas diversos. Somente na segunda-feira de Natal e no dia seguinte, foram 83 e 167 atendimentos, respectivamente, a maioria devido a lesões na córnea causadas pelo contato com a pomada modeladora de cabelos.

Havia crianças, adolescentes, mulheres e homens adultos, todos com o relato de terem feito o penteado para o Natal e, ao lavarem os cabelos, mergulharem na praia ou piscina, começaram a sentir a ardência nos olhos, o que foi piorando nas horas seguintes.

Os principais sintomas apresentados são coceira nos olhos, vermelhidão, irritação, ardência, inchaço. Nos casos mais graves, a visão vai ficando turva, até chegar ao ponto em que o paciente não consegue enxergar.

“A maioria dos pacientes apresenta uma conjuntivite ou ceratite química causadas pelo contato com a pomada. E, quanto maior a quantidade do produto que escorre para os olhos, mais grave pode ser a lesão. Alguns estão chegando com muito inchaço nos olhos e sem conseguir enxergar, tendo que ser guiados por acompanhantes. São quadros considerados bem graves”, disse, em nota, a diretora do Hospital Souza Aguiar, Paula Travassos.

Relatos de queimaduras começaram em janeiro

No início do ano, a Anvisa suspendeu a comercialização da pomada Cassu Braids Cassulinha Cabelos, fabricada pela empresa Microfarma. Na época, os

consumidores que usaram o produto relataram irritação ocular, pálpebras inchadas e dor nos olhos, além de dificuldade de enxergar, o que ocorreu ao lavarem o cabelo, após o uso do produto.

Em fevereiro, depois de suspender a venda de mais de 20 produtos, autarquia decidiu estender a proibição a todas as marcas disponíveis em território nacional. Posteriormente, algumas marcas foram liberadas para comercialização. Em 2022, a Anvisa já havia publicado o Alerta nº 07, relacionado a esse tipo de cosmético.

A consulta dos produtos que constam como regularizados pode ser feita no site da Anvisa.

Notícias mais lidas

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress