Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Legalize os serviços farmacêuticos na sua loja

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

serviços farmacêuticos

No Brasil, os serviços farmacêuticos vêm desempenhando um papel fundamental na promoção da saúde e no atendimento às necessidades da população. Com base na legislação farmacêutica vigente, como as leis 5.991/1973 e 13.021/2014 e as RDCs 197/2017 e 786/2023, ocorreu uma expansão significativa nos serviços clínicos oferecidos pelas drogarias.

E as farmácias que estão com planos de implementação desses serviços em suas lojas precisam conhecer os principais requisitos técnicos para o seu funcionamento. “A legalização adequada evita interdições, aplicação de multas e até mesmo o fechamento do estabelecimento”, alerta Leandro Curado, diretor comercial da Farmacon.

Pontos de atenção para legalizar os serviços farmacêuticos

Existem diversas documentações necessárias para estar devidamente legalizado, de forma a aferir a qualidade, segurança e ética dos serviços prestados.

Cuidado na confecção do contrato social

O contrato social é um documento legal que estabelece as normas, responsabilidades, estrutura organizacional e atividades da empresa, e serve como base para o funcionamento do negócio.

“Ao elaborar o contrato social, é importante especificar de forma clara e precisa os serviços que serão oferecidos pela farmácia e drogaria. Isso inclui de dispensação de medicamentos, venda de produtos farmacêuticos, manipulação de fórmulas magistrais e oficinais, aplicação de vacinas, monitoramento de pressão arterial, realização de testes rápidos”, ressalta Curado.

Convém ainda observar as regulamentações e legislações específicas para cada tipo de serviço, como as resoluções da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e as normas do Conselho Federal de Farmácia (CFF).

CNAE vinculado ao CNPJ de forma adequada

Ao selecionar o CNAE apropriado, considere os serviços que serão oferecidos pela farmácia e drogaria, como a comercialização de medicamentos, produtos farmacêuticos, perfumaria, além dos serviços farmacêuticos clínicos.

Quais serviços devem constar na licença sanitária?

Além da venda de medicamentos, incluindo controlados conforme a Portaria 344/1998, e produtos de perfumaria, as licenças sanitárias para farmácias e drogarias devem abranger outros serviços, tais como:

  • Manipulação de fórmulas magistrais e oficinais. (No caso de farmácia de manipulação)
  • Dispensação de medicamentos sujeitos a prescrição médica
  • Aplicação de vacinas, de acordo com a RDC nº 197/2017
  • Serviços farmacêuticos clínicos, conforme regulamentação específica

Quais serviços devem estar liberados na AFE da Anvisa?

A Autorização de Funcionamento da Empresa (AFE), emitida pela Anvisa, deve contemplar, além da comercialização de medicamentos não sujeito a controle especial (RDC 44/2009), os itens a seguir.

  • Dispensação de medicamentos contendo substâncias sujeito a controle especial (Portaria 344/1998)
  • Manipulação de fórmulas magistrais e oficinais (no caso de farmácia de manipulação)
  • Prestação de serviços farmacêuticos

Relação discriminada de serviços que devem figurar no contrato

  • Procedimentos clínicos: Com a expansão dos serviços clínicos, farmácias e drogarias podem realizar procedimentos simples, como curativos, administração de medicamentos injetáveis e coleta de exames laboratoriais, desde que sigam as normas e regulamentações estabelecidas.
  • Consultas farmacêuticas: A lei reconhece a figura do farmacêutico clínico, permitindo a realização de consultas farmacêuticas para orientação e acompanhamento de pacientes, visando a melhoria do uso de medicamentos e o cuidado com a saúde
  • Testes rápidos: Com a devida autorização da Vigilância Sanitária, farmácias e drogarias podem disponibilizar testes rápidos para detecção de doenças, como HIV, sífilis, hepatites, entre outros, ampliando o acesso da população a esses exames
  • Vacinas: Com a vacinação sendo um importante pilar da saúde pública, a legislação permite que farmácias e drogarias sejam estabelecimentos de saúde aptos a oferecer vacinas, desde que cumpram todas as exigências e normas específicas para armazenamento, manipulação e administração das vacinas
  • Check-ups e acompanhamento de saúde: Além dos serviços mencionados, farmácias e drogarias também podem oferecer check-ups e programas de acompanhamento de saúde, promovendo a prevenção, detecção precoce de doenças e o cuidado integral ao paciente

Documentos e requisitos regulatórios

  • Licença sanitária: emitida pela vigilância sanitária local
  • Responsabilidade técnica (RT): É precisa que a farmácia ou drogaria tenha um farmacêutico responsável técnico devidamente inscrito no Conselho Regional de Farmácia (CRF)
  • CRT (Certificado de regularidade técnica): É um documento emitido pelo Conselho Regional de Farmácia (CRF) que comprova a regularidade técnica da loja farmacêutica. Esse certificado é concedido quando a farmácia ou drogaria atende a todos os requisitos estabelecidos pela legislação farmacêutica e pelas normas regulatórias.
  • CNES (Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde): De acordo com a Portaria nº 2.022, de 7 de agosto de 2017, emitida pela Anvisa, as farmácias e drogarias que prestam serviços farmacêuticos, como testes rápidos devem possuir um Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES)

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress
error: O conteúdo está protegido !!