fbpx
O maior canal de informação do setor

Preços de medicamentos no país sobem 3,57% em abril

Preços de medicamentos

Os preços de medicamentos de especialidades vendidos no Brasil registraram alta de 3,57% em abril deste ano. É o que apontou o Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais (IPM-H), indicador desenvolvido pela Fipe em parceria com a healthtech Bionexo.

O resultado representa a quinta alta seguida do indicador frente aos meses anteriores: dezembro/2021 (+0,19%), janeiro/2022 (+0,27%) e fevereiro/2022 (+0,64%), março (+0,87%). Em relação a outros índices e variáveis, a elevação mensal do IPM-H (+3,57%) superou a expectativa de mercado para o IPCA/IBGE (+1.06%), o comportamento do IGP-M/FGV (+1,41%) e da taxa de câmbio (-4,23%).

Para Rafael Barbosa, CEO da Bionexo, a elevação mais expressiva em abril já era esperada por conta dos reajustes anuais nos preços dos medicamentos (de até 10,89%), segundo regulamentação da Câmara de Regulação do Mercado de Medicamentos (CMED).

“Este reajuste proposto pela CMED segue a sequência de 2021, com dois anos subsequentes acima de 10%, algo sem precedentes na série histórica. No entanto, a variação observada pelo IPM-H indica que este percentual de 2022 não foi inteiramente incorporado nos preços praticados, o que é uma boa notícia para o consumidor de produtos e serviços em saúde”, avalia.

Comportamento do Índice de Preços de Medicamentos para Hospitais

A variação positiva do índice em abril foi impactada pelos grupos de aparelho geniturinário (+15,80%); sangue e órgãos hematopoiéticos (+9,57%); agentes antineoplásicos (+8,97%), sistema musculoesquelético (+4,86%); imunoterápicos, vacinas e antialérgicos (+3,19%); aparelho respiratório (+3,18%); órgãos sensitivos (+2,91%); anti-infecciosos gerais (+2,85%), preparados hormonais (+1,98%); e aparelho cardiovascular (+1,45%). Em contraponto, foram registradas quedas nos preços de medicamentos do sistema nervoso (-9,91%) e aparelho digestivo e metabolismo (-3,33%).

No acumulado de 2022 (janeiro a abril), o IPM-H registra uma alta de 5,42% – resultado que supera a variação acumulada pelo IPCA/IBGE (+4,29%) e pela taxa de câmbio nesse horizonte (-15,81%). Por outro lado, o índice calculado pela Fipe com base em transações na plataforma Bionexo apresentou um comportamento inferior ao do IGP-M/FGV no período (+6,98%).

Já nos últimos 12 meses, encerrados em abril de 2022, o IPM-H acumula uma queda de 1,72%, divergindo do comportamento dos índices de preço da economia doméstica no período, notadamente o IPCA/IBGE (+12,13%) e o IGP-M/FGV (+14,66%).

É importante salientar que o comportamento do IPM-H nos últimos 12 meses (-1,72%) reflete uma importante acomodação dos preços de medicamentos que apresentaram forte elevação durante os períodos mais críticos da pandemia da Covid-19, a exemplo de drogas atuantes sobre o sistema nervoso, sistema musculoesquelético, aparelho digestivo e metabolismo. Por outro lado, outros grupos de medicamentos cuja demanda pode ter sido represada durante a pandemia — como aqueles atuantes sobre aparelho geniturinário, preparados hormonais e órgãos sensitivos — têm se destacado pela valorização recente.

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico

Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente O Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!
Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação

viagra online buy viagra