Fique por dentro dos principais FATOS e TENDÊNCIAS que movimentam o setor

Medicamentos contra o câncer são nova aposta da Pfizer

Acompanhe as principais notícias do dia no nosso canal do Whatsapp

Medicamentos contra o câncer
Foto: Divulgação

Com atuação fortemente ligada ao combate da Covid-19, a Pfizer agora muda seu foco para os medicamentos contra o câncer. A virada de chave vem depois de um 2023 de queda nos resultados. As informações são da CNBC.

De acordo com a reportagem, a farmacêutica fez um evento com investidores na última semana para explicar mais de sua estratégia.

Não que seja um segredo seu foco no ramo da oncologia, uma vez que o laboratório contratou um anúncio durante o Super Bowl, a final do campeonato de futebol americano, falando que desejava “superar o câncer”.

Integração com a Seagen será prioridade 

No evento em questão, a Pfizer afirmou aos investidores que, após a compra da Seagen, o foco principal da companhia será integrar o negócio de ambas as empresas.

Com a chegada da fabricante de medicamentos contra o câncer, a farmacêutica somou 60 programas experimentais ao seu pipeline de medicamentos oncológicos.

Para fazer tal aquisição, a indústria desembolsou US$ 43 bilhões (cerca de R$ 214 bilhões). A expectativa é que a fabricante traga US$ 10 bilhões (quase R$ 50 bilhões) em vendas até 2030.

Medicamentos contra o câncer são resposta a queda nas ações 

Para a Pfizer, mudar se faz mais do que necessário. Isso porque, em 2023, com o arrefecimento da pandemia da Covid-19, as ações da farmacêutica despencaram 40%.

Trazendo essa desvalorização para dólares, o valor de mercado da indústria caiu US$ 100 bilhões (pouco menos de R$ 500 bilhões) em um ano. A queda no lucro também assusta, apenas 10% do registrado em 2022, US$ 2 bilhões (cerca de R$ 9,9 bilhões)

Mas não foi só o novo coronavírus que empurrou para baixo os resultados do laboratório. Pesou contra também dois revezes: o de uma vacina contra VSR que não performou bem e um medicamento para emagrecer que fracassou nos testes clínicos.

Cortes anunciados 

Para tentar diminuir o rombo, a Pfizer anunciou cortes de custos de US$ 4 bilhões (quase R$ 20 bilhões). Tais cortes resultaram em centenas de demissões e redução nos valores aplicados em pesquisa e desenvolvimento.

Notícias Relacionadas

plugins premium WordPress