O maior canal de informação do setor

Toxoplasmose: 6 respostas sobre a “doença do gato”

1.548

Causada pelo parasita Toxoplasma gondii (T. gondii), a toxoplasmose também é popularmente conhecida como a "doença do gato", devido a

Causada pelo parasita Toxoplasma gondii (T. gondii), a toxoplasmose também é popularmente conhecida como a “doença do gato”, devido a possibilidade da contaminação por meio das fezes do animal doméstico. Mas essa não é a única maneira de contrair a doença, que também pode ser transmitida pela água contaminada ou carnes mal cozidas de porco ou cordeiro também contaminados.

Veja também: Cresce oferta de empregos para farmacêuticos e técnicos

No geral, a toxoplasmose não apresenta sintomas, mas pode ser prejudicial a saúde de pessoas com o sistema imune enfraquecido ou bebês que nascem de mães contaminadas pelo parasita durante a gestação. O sintomas que podem surgir são graves, como:

  • Confusão mental
  • Dificuldade para respirar
  • Tontura

O contato com as fezes do gato infectado ou com alimentos que tiveram contato com o T. gondii são as formas mais comuns de se contrair a toxoplasmose. A doença também pode passar de mãe para filho caso ela não seja diagnosticada durante a gravidez ou o tratamento não seja realizado da forma correta.

Siga nosso Instagram

Apesar de, na maioria dos casos, não ser sintomática, a toxoplasmose deve ser levada muito a sério. Isso porque ela pode evoluir em silêncio e levar a complicações graves como:

  • Cegueira
  • Convulsões
  • Falecimento

Neste texto, iremos responder seis questões sobre a toxoplasmose, para que você conheça essa doença silenciosa que pode ter consequências sérias.

Como posso pegar a toxoplasmose?

O parasita Toxoplasma gondii pode contaminar a água e também alguns alimentos, como as carnes de boi, cordeiro, porco e veado. O ser humano, caso não trate a água ou ingira esses alimentos crus, mal cozidos ou mal higienizados, pode acabar contraindo a toxoplasmose. Mesmo em alimentos defumados ou embutidos, caso não sejam seguidas as condições de higiene adequadas, o parasita pode continuar com potencial de contaminação.

Além disso, o T. gondii também pode se encontrado no esterco usado em adubo ou nas fezes do gato. Nesses casos, a contaminação em humanos ocorre pela inalação ou ingestão acidental do parasita presente nas fezes. Para evitar o contágio, pode ser indicado o uso de máscara e luvas para trocar a areia do animal de estimação e também a higienização da mãos após o processo.

Quando a gravida está contaminada pelo parasita, ela pode passar a doença para o feto por meio da placenta. Mas, esse cenário específico de contágio também depende do sistema imunológico da gestante estar comprometido e também do estágio da gravidez (a transmissão é mais comum no primeiro trimestre).

Quais os sintomas?

Os sintomas da toxoplasmose são semelhantes aos de outras infecções, como a gripe e a dengue. Mas é importante ressaltar que eles são raros, visto que apenas os contaminados que já apresentem um quadro de imunidade prejudicada costumam apresentá-los.

O sintomas que um paciente acometido pode apresentar são os seguintes:

  • Cansaço
  • Dificuldade para enxergar
  • Dor nas articulações e muscular
  • Dor de cabeça e na garganta
  • Febre
  • Ínguas (principalmente no pescoço mas podem surgir em outros locais)
  • Manchas avermelhadas

Os casos de imunossupressão que tornam o paciente mais propenso a apresentar os sintomas são:

  • Grávidas
  • Pacientes quimioterápicos
  • Portadores do virus HIV
  • Transplantados

Em casos mais graves, a contaminação pelo T. gondii pode afetar órgãos como o cérebro, fígado, coração e pulmões, causando novos sintomas:

  • Cansaço excessivo
  • Delírios
  • Dificuldade para respirar
  • Diminuição da força e dos movimentos do corpo
  • Dor de cabeça de forte intensidade
  • Sonolência
  • Tosse
  • Tontura

Como é o diagnóstico?

Para identificar a toxoplasmose, um médico clínico geral ou infectologista pedirá um exame de sangue para detectar a presença de anticorpos IgG e IgM no organismo do paciente. Esses anticorpos são naturalmente produzidos pelo corpo para combater a infecção.

Para diagnosticar uma possível transmissão da doença para o feto, o profissional da saúde pode pedir uma amniocentese após a 15ª semana da gravidez. Um ultrassom, que não diagnostica o problema, pode ser realizado para indicar possíveis complicações no bebê, como a hidrocefalia.

Quais os tipos?

A toxoplasmose possui alguns tipos de classificação, isso porque ela pode afetar diferentes órgãos. Vamos agora conhecê-los.

Toxoplasmose ocular

Se não for tratada  a tempo, a versão ocular da toxoplasmose pode levar a cegueira. Isso porque essa é a versão que atinge os olhos ou a retina. A infecção pode afetar ambos os olhos e apresentar sintomas diferentes em cada um deles. Os sintomas são:

  • Diminuição da visão
  • Dor no olho
  • Vermelhidão

Apesar de pouco frequente, essa e é uma versão da doença que pode ocorrer em pessoas com sistema imunológico comprometido. A infecção ocular é mais comum em fetos contaminados, principalmente se a transmissão ocorrer no início da gestação.

Toxoplasmose congênita

Quando o bebê é infectado ainda no útero materno, é o que caracteriza caso da doença em sua versão congênita. Essa é uma versão que pode trazer graves consequências ao feto. É importante ressaltar que, em casos de contaminação no final da gravidez, as consequências podem ser mais graves.

  • Aborto
  • Alterações cardíacas
  • Alterações neurológicas
  • Alterações respiratórias
  • Anemia
  • Aumento do fígado
  • Baixo peso ao nascer
  • Convulsões
  • Inflamações nos olhos
  • Macrocefalia
  • Malformações
  • Microcefalia
  • Morte do bebê ao nascer
  • Parto prematuro
  • Retardo mental
  • Surdez

Toxoplasmose cerebrospinal ou meningoencefálica

Dois são os públicos mais comumente afetados por essa versão da toxoplasmose: os soropositivos e aqueles possuem a infecção latente, ou seja, que mesmo com a realização do tratamento, o parasita não foi eliminado do organismo, podendo se reativar futuramente.

Os principais sintomas da infecção que se desloca para o sistema nervoso são:

  • Cansaço excessivo
  • Confusão mental
  • Convulsões
  • Dor de cabeça
  • Febre
  • Perda da coordenação muscular

Se não diagnosticada e tratada a tempo, essa versão pode levar ao coma e ao risco de morte.

Como é o tratamento?

Como o organismo combate naturalmente a toxoplasmose, a maioria dos pacientes não precisa de tratamento para a doença. Mas, caso haja sintomas, você deve se consultar com um profissional da saúde, que indicará o uso simultâneo de ácido fólico, pirimetamina e sulfadiazina. Grávidas também tem como opção de tratamento o antibiótico espiramicina.

Como me prevenir?

Alguns cuidados podem ser realizados para evitar contrair a toxoplasmose. São esses:

  • Caso as crianças brinquem em caixas de areia, mantenha coberta, para que os felinos não a usem para suas necessidades
  • Consumir água potável
  • Cozinhar bem as carnes
  • Evitar contato direto com as fezes dos gatos
  • Higienizar os utensílios de cozinha
  • Lavar bem os alimentos
  • Leve seu animal de estimação para consultas periódicas com o veterinário.
  • Usar luvas ao praticar a jardinagem

Fonte: Redação Panorama Farmacêutico


Cadastre-se para receber os conteúdos também no WhatsApp  e no Telegram

Jornalismo de qualidade e independente
Panorama Farmacêutico tem o compromisso de disseminar notícias de relevância e credibilidade. Nossos conteúdos são abertos a todos mediante um cadastro gratuito, porque entendemos que a atualização de conhecimentos é uma necessidade de todos os profissionais ligados ao setor. Praticamos um jornalismo independente e nossas receitas são originárias, única e exclusivamente, do apoio dos anunciantes e parceiros. Obrigado por nos prestigiar!

Você pode gostar também

Esse site utiliza cookies para aprimorar sua experiência de navegação. Mas você pode optar por recusar o acesso. Aceitar Consulte mais informação